PERGUNTAS E RESPOSTAS: MEL

 

Por que o mel cristaliza?

A cristalização é um processo natural que ocorre por conter mais açúcar do que água. Sendo assim, mel puro pode cristalizar, mas nem todo mel cristaliza. Como o açúcar responsável pela cristalização é a glicose, a relação entre a sua quantidade e a de água no mel é que determina se o mel cristalizará ou não, além de outros fatores como temperatura e florada.

O mel pode ser consumido cristalizado?

O mel pode ser consumido cristalizado sem nenhum problema, pois é um processo natural.

Descristalizar o mel afeta sua qualidade?

É importante ressaltar que o mel não deve ser aquecido acima de 38ºC, portanto caso opte por descristalizar, é necessário extremo cuidado em relação à temperatura. Não é aconselhável o uso de microondas, já que temperaturas elevadas prejudicam as propriedades nutritivas do mel.

Por que alguns méis cristalizam rapidamente e outros demoram muito tempo?

Nos lugares de clima frio ou temperado o mel cristaliza com mais rapidez, enquanto nos climas quentes o processo é mais lento, além de que fatores como umidade e florada também influenciam.

O mel pode ser consumido por crianças?

Apesar do mel ser um alimento rico em nutrientes e enzimas, não se recomenda mel para crianças menores de um ano (relação peso/idade aproximada), pois existe a probabilidade remota de transmissão de bactérias trazidas nas patas das abelhas na produção do mel.

Como o mel deve ser armazenado em casa?

O ideal é armazená-lo em frasco bem fechado e guardado em local escuro, seco e fresco.

Quais os benefícios do mel?

O mel é uma fonte de energia, muito rico em enzimas. Possui função de adoçante natural e estudos têm mostrado que a composição do mel o torna um produto com atividade antimicrobiana, promotor da cicatrização de ferimentos e protetor de  doenças gastrointestinais. O mel também possui propriedades antioxidante e prebiótica.

É possível identificar se o mel é puro?

Sim, mas nenhum teste popular pode garantir a pureza do produto, apenas testes físico-químicos podem atestar. O regulamento técnico é a Instrução Normativa nº 11 de 20 de outubro de 2000 e, no total, são usadas nove tipos de análises físico-químicas para garantir a qualidade do mel.

É aconselhável comprar o produto de fornecedores confiáveis, que comercializam o mel com os selos de inspeção. Méis com abelhas no seu conteúdo, ou que ficam ao sol em exposição nas estradas ou ainda em potes ou vidros reutilizados não são confiáveis quanto à qualidade.

O que significa o MADI MEL® ser puro e social?

Infelizmente os órgãos de controle permitem que o mel seja adulterado em até 50%, e que seja pasteurizado, ou seja, muito produto é vendido com mel e não é mel.

Muitos clientes sabendo disso nos relatava a dificuldade de comprar mel de verdade, por isso resolvemos trazer o mel puro e cru.

Ademais, o mel é o produto MADI Wellness® que estabelece a atitude e ação social, através do #beSocial, oferecendo um produto puro e social cujo um percentual fixo da venda será revertido para organizações sociais parceiras. Acreditamos que todos nós, seres humanos, somos recursos naturais e podemos atuar também com um propósito de ação social, então conectamos esses dois universos para fazer a diferença!

Por que o mel é diferente do açúcar comum?

A composição do mel é mais completa que o açúcar. Além dos sacarídeos, glicose e frutose, o mel é o único produto doce que contém minerais, vitaminas essenciais à nossa saúde, aminoácidos, ácidos orgânicos, fenólicos e flavonoides e enzimas. Além do alto valor energético e nutricional, quando consumido em quantidades adequadas, possui propriedades medicinais, sendo um alimento de reconhecida ação antibacteriana e com potencial efeito de cicatrização.

Por que o mel pode ser consumido por diabéticos?

Pois não se trata de um produto vazio que possui apenas glicose e frutose. O mel cru e puro apresenta outros nutrientes que podem sim fazer parte do dia a dia de pessoas que tem diabetes. O importante é que o mel seja inserido na alimentação de maneira controlada e compensada dentro de uma dieta prescrita e balanceada por profissional. Mesmo com índice glicêmico menor que o açúcar refinado, quando consumido em desequilíbrio de uma dieta adequada, pode causar alterações na glicemia e prejudicar o controle do diabetes, bem como de pessoas que não tenham a doença.